SÁBADO, 20 DE OUT DE 2018
Untitled Document
NOTICIÁRIO - GERAIS
08 DE FEVEREIRO DE 2018
Será que a Ponte Saldanha Marinho aguenta tanto peso?

Mineradora Empabra passa a circular com carretas carregadas de minério na região central

A empresa Phoenix Mineração e Comércio LTDA, que hoje representa o grupo EMPABRA, ultrapassa o limite da falta de respeito com o sabarense e passa a circular na região central de Sabará, atravessando inclusive a ponte Saldanha Marinho, que liga o Centro à Paciência.

Castanheiras

Desde o início de 2017, a Folha de Sabará vem denunciando a falta de respeito da Mineradora EMPABRA com os moradores da cidade, que insiste em transportar o minério de ferro retirado de uma mina situada na região do bairro Taquaril, Belo Horizonte, pelas vias de Sabará. De acordo com a denúncia as carretas passarão pelo bairro Castanheiras, via Borba Gato, estrada de Marzagânia, também pela área tombada de Marzagão, entrando pelas terras da Empresa União Rio, depois atrás do cemitério, acessando a estrada do futuro Distrito Industrial para, enfim, sair na BR.

Foram muitas as matérias feitas pela Folha de Sabará denunciando este abuso, ouvimos moradores, líderes comunitários, comerciantes da região e alguns vereadores, todos contra a circulação dos caminhões nessas vias.

Paciência

Agora os moradores da Paciência e do Centro Histórico engrossam o coro contra a empresa, já que também estão sendo prejudicados desde o começo de janeiro pelo intenso fluxo de carretas carregadas de minério.

A saúde da população é uma grande preocupação, já que o minério pode causar vários problemas respiratórios ou agravar aqueles já existentes e ainda trazer outros malefícios. Além disso, a circulação constante de um número alto de carretas, contribui para danificar as vias, comprometendo seriamente o asfalto e abalando a estrutura da ponte.

Prefeitura

A Prefeitura de Sabará divulgou em seu site que desde o início de dezembro, a Guarda Municipal tem intensificado a fiscalização de carretas que transitam na ponte Saldanha Marinho e que dezenas de veículos foram abordados e os que apresentavam sobrepeso foram notificados.

Informou ainda que no mês de janeiro, uma ação conjunta das secretarias de Defesa Social e Meio Ambiente notificou algumas empresas que possuem carretas que circulam no local. O documento prevê multa para todos os veículos que não cumprirem a legislação. A Prefeitura afirmou também que na segunda quinzena de janeiro, a Guarda Municipal instalou um posto fixo de fiscalização, próximo a Secretaria Municipal de Defesa Social. Todas as carretas que transitam no local são abordadas e as que apresentam irregularidades com sobrepeso são multadas. A ação é realizada em parceria com a Polícia Rodoviária Estadual, que também tem notificado carretas próximo à ponte sobre o Rio das Velhas, em General Carneiro.

Comunidade

Apesar da Prefeitura, dizer que está atuando nessa questão, moradores do bairro Paciência afirmam que o Poder Executivo nada tem feito para evitar o tráfego e negam existir um posto fixo de fiscalização no local. Os moradores afirmam ainda que os caminhões circulam à noite e durante toda a madrugada, justamente para tentar driblar algum tipo de fiscalização.

Agora ficam as perguntas:

Por que os caminhões só estão circulando de madrugada? Por que eles apareceram agora? Quem autorizou a circulação destes caminhões na região central da cidade? Eles possuem licença ambiental? São vários questionamentos e nenhuma resposta.

O que sabemos é que a mineradora é da região de Nova Lima, e como sempre o Ouro e os impostos ficam por lá e a sujeira e os prejuízos para Sabará.

Esperamos que a Ponte não caia, porque as obras da nova ponte estão paradas e o povo sabarense aguarda ansiosamente a finalização do projeto, que trará grande benefícios para a comunidade.

GERAIS
08 DE FEVEREIRO DE 2018
TÁ TUDO ERRADO
27 DE ABRIL DE 2015
Rede Sindijori de Comunicação
18 DE OUTUBRO DE 2016
31 DE OUTUBRO DE 2017
Uma tradição milenar
21 DE NOVEMBRO DE 2017
Quanto custa morrer?
03 DE JANEIRO DE 2018
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
SIGA A FOLHA DE SABARÁ:
2015 © Todos os direitos reservados