DOMINGO, 16 DE DEZ DE 2018
Untitled Document
NOTICIÁRIO - EDUCAÇÃO
31 DE OUTUBRO DE 2017
Literatura sabarense

Que Sabará é rica em arte nem precisa dizer. Entre muitas artes, a literatura se destaca, são tantos os que possuem o dom das letras que a nossa Biblioteca Municipal até ganhou um cantinho destinado a eles, como já mostramos em nossas páginas.

Para que nossos escritores não fiquem esquecidos, resolvemos apresentar um pouco de sua história e seus trabalhos em nossas páginas. Em cada edição traremos um escritor sabarense, de nascença ou coração, para nos contar sobre sua paixão pelas letras e por nossa cidade.

Em nossa primeira matéria vamos contar um pouco sobre Roberto Gomes, ou simplesmente, Robergom, poeta, escritor e compositor.

Robergom nasceu em Nova Era, mas veio para Sabará criança, com apenas 8 anos, a essa altura a literatura já fazia parte de sua vida, pois aprendeu a ler com apenas cinco anos e aos seis já escrevia suas primeiras histórias.

Durante essa longa trajetória foram muitos seus feitos. Criou o personagem Afobadinho, em suas crônicas na extinta “A Gazeta Sabarense”, entre 1972 e 1983. Foi autor do samba de enredo, 1979, da Sociedade Musical Moralista do Samba. É o autor do Hino do Colégio Vila Real

e teve sua música Brilhar, em parceria com Vinicius Zallo, ex “Os Tremendões”, gravada pelo cantor Leandro Lima.

Especializou-se em revisar livros, entre eles estão vários de escritores sabarenses, como “A Roça conta um Conto”, de Waldemar Arcanjo, onde fez também a diagramação; “ Diário de um Craque”, de José do Patrocínio Vieira, em parceria com Luiz Alves; “ Memórias e acontecimentos de Marzagão”, de Jair Lopes, mais conhecido como “Pingo”; “História e Metodologia de uma Banda”, de Alleton de Melo Silveira, onde também fez o prefácio; “ Os Guardiões de Sellara”, de J.R. de Santtis e o prefácio de “Bichin à toa”, de Wagner Martins. Todos esses livros estão no Cantinho do Escritor Sabarense.

Para a cidade de Sabará foram muitas as realizações. Foi um dos idealizadores do Fescan – Festival da Canção; participou da criação do Contursa – Conselho Municipal de Turismo de Sabará. Membro fundador da Academia Sabarense de Ciências e Letras e do INEDES- Instituto Estadual de Desenvolvimento Sustentável.

Por todos esses feitos, recebeu algumas homenagens. Como a já extinta Comenda Waldemar Gomes Baptista, criada pelo governo municipal de Sabará para homenagear aqueles que se destacaram na cultura. Também foi agraciado peloTroféu Gente que Faz e recebeu a Medalha de Mérito Cultural e Ecológico pela Liga Ecológica Santa Matilde (Lesma), de 2011 a 2016. E ainda foi condecorado com o título de Cidadania Honorária pela Câmara Municipal de Sabará, em 2000. Além disso, venceu o primeiro Festivelhas, do projeto Manuelzão, categoria poesia, com o poema Rotina, em 2005, representando Sabará. E também já foi homenageado por várias escolas de Sabará, entre elas o Colégio Batista e o Instituto Educacional Irmãs Canisianas-Gente Pequena.

Os poemas de Robergom inspiraram o espetáculo de dança “Sentimentos”, vencedor do concurso de dança Tout Forme, em Belo Horizonte. A professora e bailarina Any Silva coreografou vários de seus poemas os transformando em algo ainda mais lindo.

E não para por ai. O escritortem uma queda para roteiros. Escreveu o curta “A fé, a Ciência e a Razão”, filmado na Igreja do Rosário e o “ O Olho do Fantasma”, filmado na antiga Biblioteca Pública. E até atuou nos filmes “ Um Roubo”, de Silvino Fernandes,filmado no Arraial Velho e “ O Crime da Atriz, de Elza Cataldo, gravado no Teatro Municipal.

Também já participou do “Programa Sempre um Papo”, com o escritor Olavo Romano, na Fundação Belgo Mineira.

É autor do livro “Portas e Cruzes”, em parceria com Sérgio Alexandre e Zarley Starling, belíssima obra que retrata detalhes da nossa riquíssima arquitetura barroca. Seus versos dão voz às fotos de Zarley Starling das portas e cruzes dos casarios, monumentos e igrejas de Sabará.

Isso é só um pouco do que já foi feito e publicado por ele, pois ainda tem muitos escritos para ser publicados entres livros, filmes e peças. Como, por exemplo: “Di ... Versos”, poesias; “Guerra dos Emboabas”, cordel; “ Bicho homem, seja homem”, ecológico; “Tiradentes_História não oficial”, filme; “ Cristo Brasileiro da Silva”, peça, entre outros.

Ele diz que tudo pode inspirá-lo, durante uma simples caminhada pelas ruas da cidade é possível sair um verso. “E o sol brilha na trilha da manhã. E o dia se alimenta de açúcar e pimenta, para à noite comer uma maçã”, este foi um verso feito durante uma caminhada na beira da Lagoa da Reta.

Incognoscível

Sou antes do que há.

Sou infinito.

Viajante entre as dimensões,

princípio/meio/fim,

sem ascendência.

O tempo é a minha porta;

a luz é o meu alimento;

o éter é o meu oxigênio.

Meu verbo é o meu útero,

energia, movimento contínuo,

sigo acontecendo.

Só eu sei o meu nome.

Só eu vi o meu rosto.

Incognoscível.

Bebo o néctar dos Quatro Elementos

e me comprazo no fruto do Espírito.

EDUCAÇÃO
11 DE MAIO DE 2015
SIGA A FOLHA DE SABARÁ:
2015 © Todos os direitos reservados